St. Vincent e o álbum mais ousado de 2021

Abusos, prisão, violação, crime. Somente uma das artistas mais inovadoras das últimas décadas poderia transformar assuntos tão espinhosos em um dos melhores discos de 2021 - e, claro, forte candidato ao Grammy. Estou me referindo a St. Vincent e seu genial "Daddy's home", produzido por ela mesma e o hypado Jack Antonoff (reconhecido pelo trabalho com sua banda Bleachers, além de Lorde e Taylor Swift).

Oh no, you thought we had forgotten?
The show is only gettin' started
The road is feelin' like a pothole
Sit down, stand up, head down, hands up, and Pay your way in pain
You got to pray your way in shame (uh-huh)

Pay your way in pain - St. Vincent

Com letras que respingam deboche, redenção e dor, St. Vincent percorre, nas 11 canções de "Daddy's home" uma imensidão de gêneros, que vão desde o pop modernoso que a consagrou, passando pelo country-rock, até chegar ao Motown e sons que marcaram época nos anos 70. St. Vincent, por sinal, cita em entrevistas o "jazz fusion" do Steely Dan como uma das maiores influências para a concepção do álbum.

St. Vincent na arte de capa de "Daddy's home"

Mas o que certamente diferencia este trabalho dos demais da própria artista - bem como o de outras que surfam na mesma onda do empoderamento feminino, a saber Billie Eilish, Taylor Swift e Lorde - é o conceito por trás da maioria das canções, dedicadas ao seu pai.

Em 2010, o pai de St. Vincent foi preso por dar um golpe financeiro de US$ 43 milhões. Foram mais de 10 anos de sofrimento até que ele voltasse para casa. A cantora conta que chegou a mostrar as novas músicas para ele, que teve bom senso de humor para acatar versos como:

You hit me one time

Imagine my surprise

When you hit me two times

You got yourself a fight

I was a patsy

You were a creep from the cheap seats

Thinking that my little scratch was like your big victory

See?

But I'll take you down, uh, huh

Down - St Vincent

Mas nem tudo é dor no novo álbum de St. Vincent. Na própria canção título "Daddy's home", ela relata com naturalidade e nostalgia que costumava dar autógrafos na fila de espera para visitar seu pai na cadeia.

I sign autographs in the visitation room
Waiting for you the last time
Inmate 502

Daddy's home

Daddy's home - St. Vincent

O sexto álbum da americana também é feliz ao recriar a atmosfera de uma Nova York vintage, que hoje só existe nos sonhos da autora. "Daddy's Home reúne histórias sobre estar desanimado no centro de Nova York. O sapato de salto-alto da noite passada no trem matinal. Glamour que não se abala quando você passa três dias seguidos sem dormir", ressalta St. Vincent, também conhecida como Annie Clark (ou seria o inverso?)

E você, o que achou do novo álbum da St. Vincent? Conta para nós aí nos comentários!

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO

ROCK CABEÇA no seu email!

Quer ler mais notícias como essa, diariamente?
Escreva seu email para receber todas as atualizações do site, direto na sua caixa de entrada. É gratuito e sem Spam

Não se esqueça de clicar no email de confirmação!

ROCK CABEÇA no seu email!

Que tal fazer parte da realeza do rock, com artigos exclusivos sobre os maiores astros e os melhores shows do mundo?

I’m the Prince of Darkness” - Ozzy

Não se esqueça de clicar no email de confirmação!