The Great War: Swifties x Cambistas na busca por ingressos

The Great War: Swifties x Cambistas na busca por ingressos

A espera por Taylor Swift no Brasil não tem sido nada fácil para quem é fã da loirinha há algum tempo. São milhares e milhares os fãs que, como eu, sempre sonharam com uma oportunidade de vê-la se apresentar ao vivo. E, pelo visto, mesmo agora com a realização da “The Eras Tour” na América Latina, o sonho permanecerá distante para muitos “swifties”. 

Os três shows previamente anunciados para Rio de Janeiro e São Paulo rapidamente tiveram seus ingressos esgotados após a abertura das vendas gerais nesta última segunda-feira em questão de minutos. Mas isso não necessariamente significa que os estádios Allianz Parque e Engenhão estarão com lotação esgotada pela presença maciça dos fãs de Taylor, afinal, assim como aconteceu nos shows brasileiros de Coldplay e RBD, a venda dos ingressos se tornou um verdadeiro embate entre swifties e, segundo eles, cambistas.  

Na venda geral de ingressos para o público, obviamente a alta procura já era esperada. Mais de 1,5 milhão de dispositivos estavam conectados na fila virtual para os dois shows de São Paulo e o número foi superior a 800 mil para a fila do, até então, único show do Rio de Janeiro (isso sem contar com as filas presenciais físicas nas entradas dos estádios). Fazendo uma conta por alto, se o Allianz comporta cerca de 45 mil pessoas, seria preciso algo em torno de 300 datas para que todos assistissem a um show.  

No entanto, o mais surpreendente não foi a quantidade de pessoas procurando por ingressos, mas a atuação criminosa daqueles que teriam burlado tanto filas físicas quanto virtuais, ignorando o limite de 4 ingressos por CPF e deixando os fãs a ver navios em questão de poucos minutos. A internet foi tomada por relatos de fãs que deram de cara com os supostos cambistas. Confira a matéria do G1:

Os casos relatados nas redes sociais vão de ameaças de morte a ataques físicos aos fãs que brigaram pelo seus lugares nas filas. Não obstante, ainda há fãs que alegaram ter um baixo número de senha de espera e que ao chegar na bilheteria, se depararam com a falta de ingressos.

Na venda online, a experiência também foi traumatizante. E falo por experiência própria. Foram horas de frustração na fila virtual e sequer tive chance de conseguir qualquer ingresso. O que aconteceu comigo aconteceu também com inúmeros fãs que lidaram com a instabilidade e demora da plataforma. Resultado final: ingressos esgotados em poucos minutos.

Como se estivesse tudo engatilhado, não demorou para que a polêmica Tickets 4 Fun, empresa responsável pelo evento, anunciasse mais duas datas extras no Brasil. Mas a grande questão é: algo será feito para controlar o clima de dedo no c* e gritaria nas vendas dos shows extras a partir do dia 20? Até porque a situação já parece estar fora de controle, com os ingressos bombando em plataformas paralelas, alguns a preços de carros populares (sem o subsídio anunciado recentemente pelo governo federal). 

Há solução para esta verdadeira putaria?

É o que a deputada federal Érika Hilton (PSOL-SP) busca responder aos fãs prejudicados. Sensibilizada pelos relatos, a parlamentar apresentou um ofício ao Ministério Público de São Paulo solicitando a investigação dos casos de violência e de violações ao direito do consumidor. 

Quem também se uniu à causa foi o deputado estadual Guilherme Cortez (PSOL-SP) ao acionar o PROCON e a Segurança Pública. Ele exige a investigação das ações dos supostos cambistas e as omissões da T4F, a qual ganhou o prazo de 15 dias para se pronunciar sobre o caos da venda de ingressos. 

A expectativa de todos os fãs é de que medidas de combate à prática de revenda ilegal sejam tomadas o mais rápido possível, e que haja um posicionamento da empresa responsável pela venda oficial dos tickets. Afinal, logo menos será iniciada uma nova leva de vendas, mas a história pode se repetir e até piorar. 

Os swifties que antes faziam barulho para que Taylor pudesse retornar ao Brasil após 11 anos desde a sua última passagem, hoje precisam gritar para garantir os seus direitos. Neste momento, não deveria existir uma grande guerra e sim prevalecer a alegria de fãs brasileiros que esperam ver de perto Taylor Swift. Não pedimos ingresso de graça, mas a chance de comprar (nem que seja os abusivos ingressos de vista parcial).

É isso, swifties. Nos encontramos nos campos de batalha dos próximos dias 19 e 22 para as vendas de ingressos dos novos shows.

Serviço: 

The Eras Tour – Brasil (Datas Extras):

19/11 – Rio de Janeiro 

24/11- São Paulo

Dia 20/06 – pré-venda para clientes C6 Bank

Dia 22/06 – venda geral

https://www.taylorswifttheerastour.com.br

Ana Luiza Pereira

Ana Luiza Pereira

Jornalista em formação pela PUC Minas. Apaixonada pelo universo dos esportes e da cultura pop, mas que também adora um bom rock n’ roll. Trabalha principalmente com o futebol, mas nas horas vagas adora se jogar e se aventurar no mundo da música, dos filmes, livros e séries de TV.